A RUA DAS HORTAS EXISTE MESMO. FICA SITUADA EM MOURA, NO BAIRRO DO SETE E MEIO.
ESTE BLOGUE É O DIÁRIO DE BORDO DA HORTA COMUNITÁRIA AÍ EXISTENTE. INICIALMENTE ASSOCIADA A UM PROJECTO DE FORMAÇÃO PARA PÚBLICOS DESFAVORECIDOS, COMO ESPAÇO DA COMPONENTE TECNOLÓGICA DO CURSO, A HORTA ENCONTRA-SE AGORA NUMA SEGUNDA FASE. NESTE MOMENTO, ACOLHE ALGUNS DOS FORMANDOS QUE MOSTRARAM VONTADE EM PROSSEGUIR A ACTIVIDADE PARA A QUAL FORAM CAPACITADOS E ESTÁ ABERTA A OUTROS INTERESSADOS EM ACEDER AOS RESTANTES TALHÕES DEIXADOS LIVRES. UNS E OUTROS SÃO RESPONSÁVEIS PELA GESTÃO COMUNITÁRIA DA HORTA, MEDIANTE A OBSERVÂNCIA DE UM REGULAMENTO E CONTRATO DE UTILIZAÇÃO. ESTE PROJECTO CONTA COM A ORGANIZAÇÃO DA ADCMOURA EM PARCERIA COM A CÂMARA MUNICIPAL DE MOURA, NÚCLEO LOCAL DE INSERÇÃO DA SEGURANÇA SOCIAL, EQUIPA TÉCNICA DE ACOMPANHAMENTO FAMILIAR PROTOCOLO DE MOURA E CENTRO DE EMPREGO DE MOURA. TAL COMO ATÉ AQUI, ESTE É TAMBÉM O ESPAÇO PARA FALAR DE REGENERAÇÃO URBANA, AGRICULTURA BIOLÓGICA E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E SOLIDÁRIO.

terça-feira, 17 de março de 2015

Poesia na horta para celebrar a Primavera

A ADCMoura – Associação para o Desenvolvimento do Concelho de Moura e a Escola do 1º ciclo do Sete e Meio, com o apoio da Câmara Municipal de Moura e da União de Freguesias de Moura e Santo Amador, a propósito do Dia da Árvore e da Floresta e do Dia Mundial da Poesia, que se celebram a 21 de Março, têm o prazer de convidá-lo/a a participar numa iniciativa de dinamização da HORTA COMUNITÁRIA DE MOURA, a realizar no dia 20 de Março de 2015, a partir das 10.00 horas (rua das Hortas, bairro do Sete e Meio, Moura).
Num ambiente que se pretende informal e de confraternização, o evento inclui um momento de apresentação da Horta, uma visita aos talhões cultivados nesta altura e ao talude de plantas aromáticas e medicinais para caracterização das espécies existentes, uma actividade de replantação de algumas plantas envasadas, uma récita de poesia a cargo das 4 turmas de alunos da Escola do Sete e Meio, sobre os temas da natureza e da Primavera, e ainda o acompanhamento musical de Joaquim Simões, ele próprio um dos utilizadores e entusiastas da Horta.
No final será oferecido um lanche aos participantes. Contamos consigo. A sua participação é muito importante.


Nota: Esta iniciativa é parte integrante do projecto "Eu participo! Moura também é comigo - Espaço de Participação Cidadã / Moura: Cidade e Território".






Dois poemas de Cecília Meireles para aguçar o apetite:

A chácara do Chico Bolacha

Na chácara do Chico Bolacha
o que se procura
nunca se acha!

Quando chove muito,
o Chico brinca de barco,
porque a chácara vira charco.

Quando não chove nada,
Chico trabalha com a enxada
e logo se machuca 
e fica de mão inchada.

Por isso, com Chico Bolacha, 
o que se procura,
nunca se acha.

Dizem que a chácara do Chico
só tem mesmo chuchu
e um cachorrinho coxo
que se chama Cachambu.

Outras coisas, ninguém procura,
porque não acha.
Coitado do Chico Bolacha.


Leilão de jardim

Quem me compra um jardim com flores?
Borboletas de muitas cores,
lavadeiras e passarinhos,
ovos verdes e azuis nos ninhos?

Quem me compra este caracol?
Quem me compra um raio de sol?
Um lagarto entre o muro e a hera,
uma estátua da Primavera?

Quem me compra este formigueiro?
E este sapo, que é jardineiro?
E a cigarra e a sua canção?
E o grilinho dentro do chão?

(Este é o meu leilão.)

Cecília Meireles, in Ou isto ou aquilo, 1964

Alunos do 1º ciclo das escolas de Moura visitando a horta em Janeiro de 2012.

Sem comentários:

Publicar um comentário